O organismo humano é bom para enfrentar doenças, mas precisa dos mecanismos de defesa na linha de frente. As três principais linhas de defesa são: o sistema imunológico, o fígado e as colônias de bactérias benéficas que habitam nosso intestino. Desse modo, cuidar da flora intestinal é fundamental para prevenir e auxiliar no tratamento de diversas doenças.

Você sabia que ansiedade, resfriados frequentes, doenças autoimunes, depressão, compulsão alimentar e todas as doenças relacionadas ao sobrepeso e obesidade podem estar diretamente relacionados com seu intestino?

Nosso intestino é literalmente forrado com mais de 100 mil milhões de células nervosas, quase exatamente como a estrutura de nosso cérebro e produz substâncias psicoativas que afetam o humor, como os neurotransmissores serotonina e dopamina e vários opióides que modulam a dor. Sendo então reconhecido como nosso segundo cérebro.

Nosso “cérebro abdominal” possui dupla função:

- Supervisionar o processo de digestão, promovendo o peristaltismo, a secreção dos sucos digestivos para digerir os alimentos, absorção e transporte de nutrientes e eliminação de resíduos:

- Apoiar o sistema imunológico para defender o organismo. O organismo humano é bom para enfrentar doenças, mas precisa dos mecanismos de defesa na linha de frente. As três principais linhas de defesa na linha de frente. As três principais linhas de defesa são:  o sistema imunológico, o fígado e as colônias de bactérias benéficas que habitam nosso intestino. Desse modo, cuidar da flora intestinal é fundamental para prevenir e auxiliar no tratamento de diversas doenças.

Quando por algum motivo a digestão e/ou trânsito intestinal se tornam lentos e incompletos corre uma mudança na flora intestinal e, consequentemente, na absorção de vitaminas e minerais, além de substâncias como a serotonina (hormônio da felicidade e bem-estar) acarretando um desiquilíbrio em nosso sistema imunológico, facilitando ou agravando determinadas doenças.

Reconhecidamente, algumas patologias estão associadas a quadros de desmotilidade intestinal como: pancreatite crônica, neuropatia autonômica diabética, esclerodermia e hipotireoidismo, doença de Crohn, doença celíaca, depressão, síndrome do intestino irritável, intolerância a lactose, hipertensão portal, cirurgias reconstrutivas intestinais, entre outras, podendo ainda predispor um super crescimento bacteriano denominado SIBO. Uma boa maneira de garantir uma boa flora intestinal é ingerindo alimentos com culturas de bactérias benéficas à saúde intestinal, como os “probióticos e prébióticos”.

Desde a introdução do conceito de alimentos funcionais, observa-se um interesse crescente nos prebióticos e probióticos, nas combinações sinérgicas desses elementos, conhecidas como simbióticos, e na importância desses conceitos para a nutrição humana.

A indústria farmacêutica possui uma infinidade de espécies e subespécies de Lactobacilos e Bifidobactérias com funções especificas, o que faz da escolha o sucesso do tratamento.

Em São José do Rio preto, a Nutricionista Simone Lima (CRN 27929) trata seus pacientes com os mais diversos tipos de cepas de probióticos como: L. casei, L. reuteri, L. rhaminosus,

L. fermentum, L. acidophilus, L. Helvecticus, L.  plantarum, L. Delbruekii, L. lactis, L. Bulgaricus, B. longum, B. brevis, B. animalis, B. infantis, B. lactis, S. Thermophilus e garante que a escolha da cepa e a idoneidade da manipulação da manipulação  é fundamental para uma melhora de marcadores bioquímicos.

 

Dra. Simone Lima – Nutricionista - CRN/SP 27.929

Especialista em Alimentos Funcionais, Fitoterapia e Suplementação.